MCT aberto ao diálogo com a comunidade hacker

MCT aberto ao diálogo com a comunidade hacker

Nesta sexta-feira (1), o ministro de ciência e tecnologia Aloizio Mercadante participou do 12º Fórum Internacional do Fórum do Software Livre com a palestra Estratégia Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação: Desafios e Perspectivas. Já no início, o ministro destacou que a essência da internet é a liberdade e que os crimes que são praticados por meio da rede já existiam fora dela, também falou sobre a importância do software livre e de repensar a relação do Mnistério de Ciência e Tecnologia com essa comunidade.

A partir de uma perspectiva histórica do desenvolvimento brasileiro, com base na taxa média do PIB real no período de 1901 a 2010, Mercadante falou sobre as bases para o novo desenvolvimentismo: controle da inflação — dentro da meta desde 2004; aceleração do crescimento baseada na expansão do mercado interno de consumo de massa; consolidação do sistema público de crédito e financiamento do investimento — BNDES, Banco do Brasil, Caixa e Finep; bônus demográfico — período em que a população economicamente ativa é maior que a inativa.

Tecnologia da informação e comunicação (TIC) representa hoje 8% da economia e tem um grande déficit comercial devido a importação de equipamentos. Para reverter esse quadro deficitário e aumentar a participação das TICs na economia, o caminho a ser seguido é a substituição de importações, promovendo transferência de tecnologia e aumentado o processo produtivo básico.

Educação é a principal demanda de investimento, a política de royalties do pré-sal deve promover a utilização desses recursos em educação, ciência e tecnologia. O ministro também destacou a descentralização das universidades federais, as vagas triplicaram nos últimos anos, e que é preciso melhorar o ensino de matemática no ensino médio para reduzir a evasão nos cursos de engenharia.

Transparência Hacker promove conversa com o ministro.

Transparência Hacker promove conversa com o ministro.

Depois da palestra, o coletivo Transparência Hacker promoveu uma conversa com o ministro, diversos temas foram abordados: investimento em hardware com drivers abertos; parcerias menores e mais qualificadas; atendimento a comunidades carentes; desenvolvimento de tecnologias voltadas para a educação; a quantidade de registros de patentes é uma medida enganosa para avaliar o desenvolvimento, uma vez que patentes são freios para a inovação; apoio a microempresas; editais que exigem patenteamento impossibilitam o desenvolvimento de hardware livre; dificuldade de interação do governo com pequenos desenvolvedores; marco civil da internet; interesses de grandes corporações interferindo nas leis e nos rumos do Estado.

Muitas foram as críticas e também as propostas apresentadas por um grupo bastante diverso de empreendedores, pesquisadores, programadores e estudantes. Mercadante disse que para a efetivação das ações propostas é necessário que estejam no plano plurianual ou na lei de diretrizes orçamentárias, por exemplo, falando sobre a burocracia do Estado; e propôs que o grupo sistematize as propostas apresentadas para, em nova reunião, voltar a discutir a implementação de ações por parte do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Ministro Aloizio Mercadante e participantes do bate-papo organizado pelo coletivo Transparência Hacker

Ministro Aloizio Mercadante e participantes do bate-papo organizado pelo coletivo Transparência Hacker

Nunca é demais lembrar que hacker é diferente de cracker; e que os criminosos da rede são eles: os crackers. 😉
2016-09-18T20:33:50+00:00 julho 2011|Tecnologia, Internet e Comunicação|

Deixar Um Comentário