Estudantes da PUCRS protestam contra corrupção, racismo e machismo na universidade

Estudantes da PUCRS protestam contra corrupção, racismo e machismo na universidade

Hoje é o dia da revolução! Alguns têm medo da mudança, nós temos medo de que as coisas nunca mudem.

Hoje é o dia da revolução! Alguns têm medo da mudança, nós temos medo de que as coisas nunca mudem.

Estudantes que integram o movimento de oposição ao DCE na PUCRS denunciaram a corrupção, os abusos e a violência da qual a gestão atual faz uso para se manter no controle do diretório acadêmico da universidade em audiência na Assembleia Legislativa. Após a audiência com os estudantes, e contato do presidente da ALERGS, deputado Adão Villaverde, com o reitor, ficou definido que deputados e vereadores também participariam da reunião de ontem a noite com o reitor, membros do movimento de oposição e o DCE.

Aproximadamente 500 estudantes protestavam em frente ao prédio 40, local para onde a reunião, que seria na reitoria — prédio 1 — fora transferida de última hora. Quando os deputados chegaram ao prédio 40, foram barrados pela segurança da PUCRS e conseguiram entrar no prédio após identificação. Entretanto eles foram novamente barrados, pois o reitor disse que os deputados não estavam na “lista” dos convocados para a reunião.

Depois de negociações, os Deputados Tortelli, Jefersson Fernades e Alexandre Lindeimeyer puderam participar da reunião sem assessoria. Dois assessores indicados pelo deputado Miki Breir da Comissão de Direitos Humanos da ALERGS também foram barrados, vítimas de preconceito: um por ser negro, a outra por ser mulher. Os assessores de Breir só puderam entrar para acompanhar a reunião depois de mais de uma hora e vinte minutos de espera.

Na entrada do prédio, vários estudantes da PUCRS falavam aos colegas repudiando a corrupção, o preconceito e a violência da máfia que ocupa o DCE da universidade desde os anos 1990, também protestávamos contra a conivência da reitoria com esse esquema de corrupção e violência. Estavam presentes, prestando apoio aos estudantes da PUCRS, estudantes de outras universidades e representantes de movimentos sociais. O protesto terminou em torno das 23 horas após deliberações sobre novas ações hoje, 16 de junho.

Entre falas e palavras de ordem, o protesto também contou com uma paródia feita pelos estudantes da música Asa Branca de Luiz Gonzaga:

Quando olhei que indeferiram
As chapas de oposição
Logo pensei, ah! Meu Deus do céu, não!
Lá vão fraudar mais outra eleição.
Logo pensei, ah! Meu Deus do céu, não!
Lá vão fraudar mais outra eleição.
Já faz mais de vinte anos
Que é a mesma situação
É roubalheira, chapa fantasma,
é PlayStation e agressão.
É roubalheira, chapa fantasma,
é PlayStation e agressão.
Inté mesmo a Reitoria
Fecha os’olho e lava as mãos
Mas estudantes contra a quadrilha,
exigem o fim dessa gestão!
Mas estudantes contra a quadrilha,
exigem o fim dessa gestão!
Já vai tarde DCE tem que sair de camburão!
Já vai tarde DCE tem que sair de camburão!

Leia mais sobre as manifestações dos estudantes da PUCRS:
DCE da PUCRS é alvo de desconfiança e protestos há mais de uma década (Sul 21)
Quanto dinheiro o DCE da PUC movimenta anualmente? Ou essa é uma informação secreta? (RS Urgente)
Estudantes pedem democracia na PUCRS (Somos Andando)

Receba os posts do blog em seu email!


2011-06-16T14:35:13+00:00 junho 2011|Opinião|

Um Comentário

  1. Fabio Salvador 17 de junho de 2011 em 06:13- Responder

    O DCE da PUC vem fazendo nós estudantes de palhaços desde quando EU era estudante, há uns 10 anos atrás. Está mais do que na hora de cair!

Deixar Um Comentário