Correndo na pandemia

No dia 19 de março de 2020, saí para correr indecisa se deveria ter mesmo feito isso. Adoro correr e andar de bicicleta! O problema, naquele momento, estava nas incertezas da pandemia do Covid-19. Não era seguro sair para se exercitar na rua.

Consegui comprar uma bicicleta de spinning antes do aumento de preços causado pela demanda em função da pandemia. Pedalei na bike spinning com a motivação e fúria de quem queria estar fazendo exercícios na rua: mais de 200 km por mês entre abril e agosto.

De março a outubro de 2020, pedalei mais de 1.400 km dentro de casa.

Voltei a sair para correr na rua sete meses depois, em 22 de outubro de 2020. De máscara.

Correr de máscara deixara a respiração mais difícil, pois ela dava a sensação de “grudar” no nariz e na boca ao inspirar. Mas não desisti de correr, também não deixei de fazer a coisa certa: usar a máscara SEMPRE.

Ente 22 de outubro de 2020 e 13 de maio de 2021, corri um total de 78 km de máscara, mas sem o suporte. Até que encontrei uma solução: usar um suporte de filtro dentro das máscaras que eu já tinha.

Suporte para filtro dentro da máscara.

De 30 de maio a 5 de julho, já corri mais 62 km, sempre usando a máscara com o suporte, ele evita o problema que dificultava a respiração: não deixa a máscara “grudar” no nariz e na boca ao inspirar.

Espero que a pandemia acabe logo (esse é um assunto mais complicado!), enquanto isso essa foi a solução que encontrei para contornar a dificuldade que a máscara adiciona à corrida.