No aniversário de 241 anos de Porto Alegre, estou triste

No aniversário de 241 anos de Porto Alegre, estou triste

Foto do Flickr da Cíntia Barenho.

Foto do Flickr da Cíntia Barenho.

Porto Alegre já foi a capital da qualidade de vida e com a melhor empresa de transporte coletivo. Em 1999 e 2001 a Carris foi considerada pela Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP) a melhor empresa de transporte coletivo do Brasil. Atualmente os rodoviários reivindicam melhores salários e condições de trabalho, a população não quer mais ônibus lotados e atrasados. E este ano o prefeito presenteia a cidade com triste título da passagem de ônibus mais cara do Brasil.

O Largo Glênio Peres, antes espaço de feiras e manifestações populares, virou estacionamento e ganhou chafarizes ridículos. Um exemplo para mostrar que a administração da cidade está na contramão da História: enquanto Lisboa discute reduzir ainda mais a circulação de carros no centro da cidade, aqui criam-se mais estacionamentos. A privatização de espaços públicos e a entrega da cidade à especulação imobiliária são sintomas claros sobre de que lado está a administração da cidade.

“Quantas copas por uma Copa?”, pergunta a população indignada com a derrubada de árvores para o alargamento de uma avenida, árvores que o prefeito diz que podem ser removidas porque não são utilizadas. Desde quando árvores tem que ter “utilidade” para permanecer onde estão há décadas? Que lógica perversa é essa?

Pesquisadores apontam para o fato de que o alargamento de vias não resolve o problema do transporte urbano. Entre eles, Artur Morais, especialista em políticas públicas de transportes e pesquisador da Universidade de Brasília. “Com o tempo, as ruas ficaram entupidas de automóveis e as pessoas passaram a ter a falsa impressão de que o alargamento de pistas, a construção de viadutos e estacionamentos seria a solução. O problema é que essa ‘solução’ acaba servindo para alimentar ainda mais o problema. Em cinco anos, tudo volta a ficar engarrafado novamente.”

O uso individual do automóvel também priva as pessoas de conhecer melhor a cidade. A solução para os congestionamentos está em um transporte público de qualidade e com preço acessível a todos. Incentivar o uso de ônibus, bicicletas e até mesmo o deslocamento a pé para pequenas distâncias em vez de carros e mais carros.

Não posso esquecer que, sob desculpas como a Copa do Mundo, são desrespeitados direitos humanos fundamentais como o direito a moradia. Em nome do “progresso”, pessoas são deslocadas para locais sem transporte público, sem escola para seus filhos, sem unidades de saúde, enfim sem a assistência do poder público, que deveria zelar pelos mais necessitados.

Apesar de tudo, eu amo Porto Alegre. Já tive oportunidade de conhecer outras cidades como Brasília, Foz do Iguaçu, Olinda, Recife, Salvador e São Paulo. Como me apaixonei ainda mais por esse Brasil maravilhoso e diverso! Mas minha cidade é o meu cantinho no mundo, e é por tanto gostar dela que preciso ser honesta: hoje estou triste.

Imagem do Flickr da Cíntia Barenho.
Citação de Artur Morais: Construção de viadutos, alargamento de vias: é mesmo a solução para o trânsito – veja a visão de um especialista.

Receba os posts do blog em seu email!


2013-03-26T12:42:58+00:00 Março 2013|Opinião|

Deixar Um Comentário